Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ifg.edu.br:8080/handle/prefix/221
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisor1Oliveira, João Carlos de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2331131582471474pt_BR
dc.contributor.referee1Oliveira, João Carlos de-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2331131582471474pt_BR
dc.contributor.referee2Batalione, Giovane-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/5974222605664536pt_BR
dc.contributor.referee3Gonçalves, Ricardo Freire-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/2276848496180876pt_BR
dc.creatorNascimento, Carina Catani Batista-
dc.creatorSousa, Jéssika Rodrigues-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2331131582471474pt_BR
dc.date.accessioned2019-03-25T15:47:18Z-
dc.date.available2018-12-15-
dc.date.available2019-03-25T15:47:18Z-
dc.date.issued2018-11-28-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ifg.edu.br/handle/prefix/221-
dc.description.abstractThe road transport mode corresponds to the largest portion of the means of transport of cargo and passengers in Brazil, its management and maintenance requires the implementation of efficient technical and economic strategies. The implementation of the SMA-type asphalt mix has been carried out in heavy traffic routes, airport runways, port yards and urban roads, as it is a mixture of high strength and durability. The general objective of this work was the evaluation of the behavior of the SMA asphalt mixture with the incorporation of the sugarcane bagasse in substitution to the cellulose fiber, performing the Marshall dosing procedures, verifying the viability of the use of sugarcane bagasse - sugar and evaluating the mechanical behavior of the asphalt mixture by means of the parameters of Marshall stability, creep, tensile strength by diametral compression and others. The results obtained in the research proved the technical viability of the substitution of cellulose fiber by sugarcane bagasse in the studied SMA asphalt mixture. It was observed that addition of sugarcane bagasse did not affect the workability of the asphalt mixture. The values of void index obtained for the different CAP contents were relatively low as a function of the granulometric range adopted. The mixture complied with the criterion of maximum drainage value determined by the specific standard. The mechanical properties of the asphalt mixture have met the limits specified in standard with respect to the minimum value of load capacity or Marshall stability, and tensile strength by diametrical compression. The sugarcane bagasse does not have structural function in the asphalt mixture and assists in the transport and handling of the mixture to avoid the runoff of the same. The road transport mode corresponds to the greater part of the means of transport of cargo and passengers in Brazil, its management and maintenance requires the implementation of efficient technical and economic strategies. The implementation of the SMA-type asphalt mix has been carried out in heavy traffic routes, airport runways, port yards and urban roads, as it is a mixture of high strength and durability. The general objective of this work was the evaluation of the behavior of the SMA asphalt mixture with the incorporation of the sugarcane bagasse in substitution to the cellulose fiber, performing the Marshall dosing procedures, verifying the viability of the use of sugarcane bagasse - sugar and evaluating the mechanical behavior of the asphalt mixture by means of the parameters of Marshall stability, creep, tensile strength by diametral compression and others. The results obtained in the research proved the technical viability of the substitution of cellulose fiber by sugarcane bagasse in the studied SMA asphalt mixture. It was observed that addition of sugarcane bagasse did not affect the workability of the asphalt mixture. The values of void index obtained for the different CAP contents were relatively low as a function of the granulometric range adopted. The mixture complied with the criterion of maximum drainage value determined by the specific standard. The mechanical properties of the asphalt mixture have met the limits specified in standard with respect to the minimum value of load capacity or Marshall stability, and tensile strength by diametrical compression. The sugarcane bagasse does not have structural function in the asphalt mixture and assists in the transport and handling of the mixture to avoid the runoff of the same.pt_BR
dc.description.resumoO modo rodoviário de transporte corresponde a maior parcela dos meios de transporte de carga e passageiros no Brasil, a sua gestão e manutenção exige a implementação de estratégias técnicas e econômicas eficientes. A implementação da mistura asfáltica do tipo SMA vem sendo realizada em vias de tráfego intenso, pistas de aeroporto, pátios de portos e vias urbanas, pelo fato de ser uma mistura de alta resistência e durabilidade. O objetivo geral deste trabalho foi a avaliação do comportamento da mistura asfáltica SMA com a incorporação do bagaço de cana-de-açúcar em substituição à fibra de celulose, realizando os procedimentos de dosagem Marshall, verificando a viabilidade de uso do bagaço de cana-de-açúcar e avaliando o comportamento mecânico da mistura asfáltica por meio dos parâmetros de estabilidade Marshall, fluência, resistência à tração por compressão diametral e outros. Os resultados obtidos na pesquisa comprovaram a viabilidade técnica da substituição da fibra de celulose pelo bagaço de cana-de-açúcar na mistura asfáltica SMA estudada. Observou-se que adição de bagaço de cana-de- açúcar não exerceu nenhuma alteração na trabalhabilidade da mistura asfáltica. Os valores de índice de vazios obtidos para os diversos teores de CAP foram relativamente baixos em função da faixa granulométrica adotada. A mistura atendeu ao critério de valor máximo de escorrimento determinado pela norma específica. As propriedades mecânicas da mistura asfáltica atenderam aos limites especificados em norma com relação ao valor mínimo de capacidade de carga ou estabilidade Marshall, e resistência à tração por compressão diametral. O bagaço de cana-de-açúcar não possui função estrutural na mistura asfáltica e auxilia no transporte e manuseio da mistura por evitar o escorrimento da mesma.pt_BR
dc.description.provenanceSubmitted by Alisson de Sousa Belthodo Santos (alisson.santos@ifg.edu.br) on 2019-03-25T15:36:17Z No. of bitstreams: 1 tcc_Carina Nascimento_Jéssika Sousa.pdf: 3441414 bytes, checksum: 3f1c21607952e8286f64d4b45df58f26 (MD5)en
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Alisson de Sousa Belthodo Santos (alisson.santos@ifg.edu.br) on 2019-03-25T15:47:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 tcc_Carina Nascimento_Jéssika Sousa.pdf: 3441414 bytes, checksum: 3f1c21607952e8286f64d4b45df58f26 (MD5)en
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2019-03-25T15:47:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tcc_Carina Nascimento_Jéssika Sousa.pdf: 3441414 bytes, checksum: 3f1c21607952e8286f64d4b45df58f26 (MD5) Previous issue date: 2018-11-28en
dc.languageporpt_BR
dc.publisherInsitituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiáspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentCâmpus Goiâniapt_BR
dc.publisher.initialsIFGpt_BR
dc.relationUFGpt_BR
dc.relation.referencesAASHTO – American Association of State Highway and Transportation (1997) T 305 – Determination of Draindown Characteristics in Uncompacted Asphalt Mixtures. ABEDA, Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos. Asfaltos modificados por polímeros. 2013, Maringá, PR. Disponível em: <http://www.der.pr.gov.br/arquivos/File/Enc ontrosTecnicos/1encontroTecnico/Porquemo dificaroasfalto.pdf>. Acesso em: 18/11/2018 às 17:00 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 11341 (1990) - Produtos de petróleo - Determinação dos pontos de fulgor e de combustão em vaso aberto Cleveland - Método de ensaio. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 12583 (2017) – Agregado graúdo – Determinação da adesividade ao ligante betuminoso. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 12584 (2017) – Agregado miúdo – Verificação da adesividade a ligante betuminoso. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 15184 (2004) - Materiais betuminosos - Determinação da viscosidade em temperaturas elevadas usando um viscosímetro rotacional. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 6458 (1984) - Grãos de pedregulho retidos na peneira de abertura 4,8 mm - Determinação da massa específica, da massa específica aparente e da absorção de água. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 6560 (1972) - Determinação do ponto de amolecimento de materiais betuminosos - Método do anel e bola. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 6576 (1998) - Materiais asfálticos - Determinação da penetração. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 6598 (1984) - Grãos de solos que passam na peneira de 4,8 mm - Determinação da massa específica. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 7211 (2009) – Agregados para concreto – Especificação. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 7809 (2006) – Agregado graúdo - Determinação do Índice de Forma pelo método do paquímetro. ALCARDE, André Ricardo, Cana-de-açúcar. 2016, Brasília, DF. Disponível em: <http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gest or/cana-de- acucar/arvore/CONTAG01_108_221220061 54841.html>. Acesso em: 08/07/2018 às 19:28. ALEMANHA, Stone Matrix Asphalt – Lothar Drüschner and Volker Schäfer. Associação Alemã de Asfalto, Berlin, 2005. Disponível em: <http://www.eapa.org/userfiles/2/DAV/sma %20englversion.pdf>. AMARAL, Simonne da Costa. Estudos de misturas asfálticas densas com agregados do estado do Pará, utilizando asfalto convencional (CAP-40) e asfalto modificado com polímero SBS (BETUFLEX B 65/60). São Carlos – SP. 2000. ANP, Agência Nacional do Petróleo, Gás natural e Biocombustível. Disponível em <http://www.anp.gov.br/petroleo-e- derivados2/asfalto>. ANTUNES, Inês. Caracterização reológica de betumes modificados crm sujeitos a envelhecimento artificial. 2004, Parma, Itália. Disponível em: <http://www.asphaltrubberitalia.com/wp- content/uploads/2013/05/Giuliani-Antunes- Sousa-CRP04.pdf>. Acesso em: 17/11/2018 às 16:37. BALBO, José Tadeu. PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA materiais, projeto e restauração. 1. Ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2007. BERNARDES, David Júnior. Recuperação de pavimentos flexíveis em áreas de tráfego pesado devido a implantação de lombadas eletrônica. 2011, Uberlândia, MG. Disponível em: <http://www.computacao.unitri.edu.br/erac/i ndex.php/e-rac/article/viewFile/539/338>. Acesso em: 17/11/2017 às 17:18. BERNUCCI, L. B.; MOTTA, L. M. G.; CERATTI, J. A. P.; SOARES, J. B. Pavimentação Asfáltica – Formação Básica para Engenheiros.2006, Rio de Janeiro, RJ. PETROBRAS, ABEDA. BORGES, Paulo Roberto, et al. Comportamento Mecânico de Misturas Asfálticas a Quente Dosadas pela Metodologia Marshall e Compactadas no Compactador Marshal e no CGS (Compactador Giratório Superpave). Rio de Janeiro, 2016, ANPET XXX. Disponível em: <http://www.anpet.org.br/xxxanpet/site/anais _busca_online/documents/4_220_AC.pdf>. Acesso em: 23/03/2018 às 20:36 BRASIL, CNT, Transporte Rodoviário: Por que os pavimentos não duram? Brasília, 2017. BRASIL, DNIT, Manual de Pavimentação. Brasília, 2006. Disponível em: <http://www1.dnit.gov.br/arquivos_internet/i pr/ipr_new/manuais/Manual_de_Pavimentac ao_Versao_Final.pdf>. Acesso em: 17/02/2018 às 02:12. BRITO, Lélio Antônio Teixeira. Avaliação e análise paramétrica do ensaio de compressão diametral sob cargas repetidas em misturas asfálticas. 2006, Porto Alegre, RS. Disponível em: <http://livros01.livrosgratis.com.br/cp00246 5.pdf>. CAVALCANTE, Rodrigo Lima; MARQUES, José Roberto Franco; JUNIOR, José Leomar Fernandes; SUÁREZ, Alex Arancibia. Mistura asfáltica do tipo SMA produzida com adição de fibras do bagaço de cana- de-açúcar. 2017, Rio de Janeiro, RJ. Revista de pavimentação COELHO, V.; SÓRIA, M.H.A. (1995) Influência da Granulometria e da Temperatura nas Deformações Permanentes das Trilhas-de- Roda. 29ª Reunião Anual de Pavimentação, ABPv, Cuiabá, v.2, p.402-431. COMPESA, Companhia Pernambucana de Saneamento.Tabela de Custo Unitários para Obras e Serviços de Engenharia, 2016. Disponível em: <http://servicos.compesa.com.br/wp- content/uploads/2016/02/TABELA_COMPE SA_2016_COM_DESONERACAO_E_SE M_ENCARGOS_COMPLEMENTARES.pd f>. Acesso em: 21/04/2018 às 22:44 CONAB, Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da Safra Brasileira de Cana de Açúcar. Brasília, 2017. DANTAS, Gustavo Henrique Santana. Estudo do emprego do compactador giratório Superpave na compactação de um solo argiloso. 2013, São Carlos, SP. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/1 8/18143/tde-09042013-142246/pt-br.php>. DER PR. Revestimentos Asfálticos SMA. 2008. Disponível em: <http://www.der.pr.gov.br/arquivos/File/Enc ontrosTecnicos/6encontroTecnico/SMADER PR.pdf>. Acesso em: 17/02/2018 às 03:19. DER SP. Concreto Asfáltico Tipo SMA. 2007. Disponível em: <ftp://ftp.sp.gov.br/ftpder/normas/ET-DE- P00-031_A.pdf>. Acesso em: 03/04/2018 às 14:38. DNER - Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (1995) ME 043 – Misturas Betuminosas a quente – ensaio Marshall. DNER - Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (1998) ME 035 – Agregados – Determinação da abrasão Los Angeles. DNER - Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (1998) ME 083 – Agregados – Análise granulométrica. DNIT – 136/2010-ME. Pavimentação asfáltica - Misturas asfálticas – Determinação da resistência à tração por compressão diametral – Método de ensaio. DNIT 138/1994-ME. Misturas betuminosas - Determinação da resistência à tração por compressão diametral. EL-HAGE, Robert Becerra. Estudo de mistura asfáltica tipo stonematrixasphalt (SMA) à luz dos compactadores Marshall e Superpave.2012, São Carlos, SP. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/1 8/18143/tde-05092012-163002/pt-br.php>. Acesso em 14/06/2018 às 21:00. ENSINAS, Adriano Viana. Integração térmica e otimização termoecômica aplicadas ao processo industrial de produção de açúcar e etanol a partir da cana-de-açúcar. 2008, Campinas, SP. Disponível em: <http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstrea m/REPOSIP/264944/1/Ensinas_AdrianoVia Ad_D.pdf>. Acesso em: 21/06/2018 às 10:02. FALCÃO, MarciusFlaure B.; SOARES, Jorge Barbosa. Considerações sobre o ensaio de compressão diametral no estudo de materiais de pavimentação. 2015, Fortaleca, CE. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/2 67254059_CONSIDERACOES_SOBRE_O _ENSENS_DE_COMPRESSAO_DIAMET RAL_NO_ESTUDO_DE_MATERIAIS_DE _PAVIMEPAVIME>. Acesso em: 08/07/2018 às 20:48. FATOS & ASFALTOS. número 108. 2006, Aracuária, PR. FILHO, Clonilo Moreira Sindeaux de Oliveira. Estudo do Efeito de Diferentes Granulometrias no Comportamento Mecânico de Misturas Asfálticas Densas Descontínuas Tipo Stone Matrix Asphalt (SMA). 2007, Fortaleza, CE. Disponível em: <http://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/146 1/1/2007_dis_cmsoliveirafilho.pdf>. Acesso em: 15/06/2018 às 00:21. FREITAS, F.J.S. (1996). Asfalto modificado com EVA. Anais da 30º Reunião Anual de Pavimentação, v.l, p.61-74. GARDETE, Dinis Correia. Comparação de ensaios laboratoriais para a caracterização de misturas betuminosas à deformação permanente. 2006, Coimbra, Portugal. Disponível em: <https://repositorio.ipcb.pt/handle/10400.11/ 140>. GARDETE, Dinis; SANTOS, Luís Picado; CAPITÃO, Silvino. Formulação Volumétrica e Desempenho de Misturas Betominosas Stone Matrix Asphalt. 2011, Rio de Janeiro, RJ. Disponível em: <https://repositorio.ipcb.pt/bitstream/10400.1 1/2241/3/XVICILA_Final_Gar_Pic_Cap_S MA%20%281%29.pdf>. Acesso em: 14/06/2018 às 22:30. GOMES, Mayara Souza; HELAL, Adão Marcílio Pedrosa; FILHO, José Carlos. Análise do comportamento mecânico de um pavimento ferroviário através de um estudo comparativo entre os ensaios de cbr e módulo de resiliência. 2015, São Luís, MA. Disponível em: <http://sou.undb.edu.br/public/publicacoes/r ev._ceds_n._3 comportamento_mecanico_ de_um_pavimento_ferroviario_- _mayara_gomes_e_adao_helal.pdf>. GOUVEIA, Ester Ribeiro; NASCIMENTO, Renata Trajano do; SOUTO-MAIOR, Ana Maria. Validação de metodologia para a caracterização química de bagaço de cana-de-açúcar. 2009, Lorena, SP. Disponível em: <http://quimicanova.sbq.org.br/imagebank/p df/Vol32No6_1500_25-AR08401.pdf>. Acesso em: 21/06/2018 às 10:30. JÚNIOR, Márcio Lemos Pinto Coelho & ROCHA, Pedro Henrique Teles, Estudo Preliminar de Misturas Asfálticas à Quente Utilizadas em Obras de Pavimentação na Região Metropolitana de Goiânia, Goiânia, 2013. Disponível em: <https://www.eec.ufg.br/up/140/o/ESTUDO _PRELIMINAR_DE_MISTURAS_ASF%C 3%81LTICAS_%C3%80_QUENTE_UTILI ZADAS_EM_OBRAS_DE_PAVIMENTA% C3%87%C3%83O_NA_REGI%C3%83O_ METROPOLITANA_DE_GOI%C3%82NIA .pdf>. Acesso em: 24/04/2018 às 21:12. LANCHAS, S. (1999). Características del Stone MasticAsphalt SMA. Anais do Congresso Ibero-Latinoamericano – 10° CILA, Sevilha, Espanha, v. 1, p. 727-730. LEAL, Claúdio Luiz Dias. Aproveitamento do bagaço de cana-de-açúcar em misturas asfálticas. Niterói, RJ, 2013. Disponível em: <http://www.poscivil.uff.br/sites/default/files /dissertacao_tese/teseclaudioformatada1.pdf >. Acesso em: 18/02/2018 às 14:47. LEAL, Claúdio Luiz Dias; CASTRO, Protassio Ferreira. Construção de um Trecho Experimental em SMA usando bagaço de cana-de-açúcar como aditivo, Campos dos Goytacazes. RJ, 2013. Disponível em: <http://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/v ertices/article/view/1809- 2667.20120060/1977>. Acesso em: 18/02/2018 às 12:14. MAGALHÃES, Sidclei Teixeira. Misturas asfálticas de módulo elevado para pavimentos de alto desempenho. 2004, Rio de Janeiro, RJ. Disponível em: <http://wwwp.coc.ufrj.br/teses/mestrado/geo tecnia/2004/Teses/MAGALHAES_ST_04_t_ M_geo.pdf>. Acesso em: 23/11/2018 às 23:01. MERHEB, Antonio Hamilton Michel. Análise mecânica do lastro ferroviário por meio de ensaios triaxiais cíclicos. 2014, São Paulo, SP. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/ 3138/tde-20052015-160602/en.php>. MOTHÉ, Michelle Gonçalves. Estudo do comportamento de ligantes asfálticos por reologia e análise térmica. Rio de Janeiro, 2009. MOURÃO, F.A.L. Misturas Asfálticas de Alto Desempenho Tipo SMA. Rio de Janeiro, 2013. MUGAYAR, André Naleto. Avaliação dos efeitos do tipo de asfalto e da distribuição granulométrica do agregado nas fluências estática e dinâmica de misturas asfálticas densas. São Carlos, 2004. NAPA. Design and construction SMA mixtures - State of the practice. USA, 1999. NASCIMENTO, Luis Alberto Herrmann. Nova Abordagem da Dosagem de Misturas Asfálticas Densas com Uso do Compactador Giratório e Foco na Deformação Permanente. Rio de Janeiro, 2008. NEVES FILHO, Cláudio Luiz Dubeux. Avaliação laboratorial de misturas asfálticas SMA produzidas com ligante asfalto-borracha. São Carlos, 2004. NOGUEIRA, Mônica Grassi. Comparação do comportamento em campo de concretos asfálticos com cap 30-45 e com cap 50-70 para revestimentos de pavimentos. São Paulo, 2008. NOVACANA, Etanol celulósico: o bagaço da cana-de-açúcar como matéria prima para a hidrólise. 2013. Disponível em: <https://www.novacana.com/estudos/etanol- celulosico-bagaco-cana-de-acucar-como- materia-prima-para-hidrolise-241013/>. Acesso em: 19/02/2018 às 21:15. NOVACANA, Novos horizontes comerciais para o bagaço de cana de açúcar. 2017. Disponível em: <https://www.novacana.com/n/industria/tecn ologia/horizontes-comerciais-bagaco-cana- de-acucar-160217/>. Acesso em: 16/02/2018 às 22:49. NOVACANA. A produção de cana de açúcar no Brasil e no Mundo. 2018. Disponível em: <https://www.novacana.com/cana/producao- cana-de-acucar-brasil-e-mundo/>. Acesso em: 16/02/2018 às 22:12. ODA, Sandra; JÚNIOR, José Leomar Fernandes. Borracha de pneus como modificador de cimentos asfálticos para uso em obras de pavimentação. 2001, Maringá PR. Disponível em: <http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/Acta SciTechnol/article/view/2804>. Acesso em 18/11/2018 às 13:40 OLIVEIRA et al. Decomposição e liberação de nutrientes da palhada de cana-de-açúcar em campo. 1999, Piracicaba, SP. Disponível em: <https://seer.sct.embrapa.br/index.php/pab/ar ticle/view/5558/2749>. Acesso em: 21/06/2018 às 11:00. ONOFRE, Felipe Coutinho; BESSA, Iuri Sidney; BRANCO, Verônica Teixeira Franco Castelo; SOARES, Jorge Barbosa. Correlação entre variáveis de densificação do compactador giratório e resistência à deformação permanente de misturar asfálticas convencionais e com resíduos. 2011. Disponível em: <https://www.revistatransportes.org.br/anpet/ article/view/350/386>. PAVEI, Evelice; ARNS, Pedro; VILLENA, Joe. Resistência à tração de misturas asfálticas com adição de cinza pesada. 2014, Criciúma, SC. Disponível em: <http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/303 4/1/Evelice%20Pavei.pdf>. Acesso em: 08/07/2018 às 21:34. PINHEIRO, Jorge Henrique Magalhães. Incorporação de Borracha de Pneu em Misturas Asfálticas de Diferentes Granulometrias (Processos Úmido e Seco). Fortaleza, 2004. RAMOS, Fábio Rangel Queiroz. Aplicação de SMA (Stone Matrix Asphalt) em pavimentos aeroportuários – estudo de caso: Aeroporto de Aracaju – SE. 2015. Ouro Preto, MG. Disponível em: <http://www.nugeo.com.br/uploads/nugeo_2 014/teses/arquivos/fabio-rangel.pdf>. Acesso em: 18/02/2018 às 10:16. RAMOS, Kleberson de Oliveira. Estudo Sobre Mistura Asfáltica tipo STONE MATRIX ASPHALT (SMA) para pavimento aeroportuário. 2012, Rio de Janeiro, RJ. Disponível em: <http://transportes.ime.eb.br/DISSERTA%C 3%87%C3%95ES/DIS_KLEBERSON.pdf>. Acesso em: 14/06/2018 às 20:40. REIS, Rafael Marçal Martins De. Revestimento asfáltico tipo SMA para alto desempenho em vias de tráfego pesado. 2002, São Paulo, SP. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/ 3138/tde-14112003-103348/en.php>. Acessoem: 15/06/2018 às 00:42. REKHA K. & RAO B.H. A Stone Mastic Asphalt is Gap Graded by Using Bagasse Fiber (Sugar Cane).Telangana, India, 2017. Disponível em: <http://ijariie.com/AdminUploadPdf/A_STO NE_MASTIC_ASPHALT_IS_GAP_GRAD ED_BY_USING_BAGASSE_FIBER_SUG AR_CANE ijariie7112.pdf>. Acesso em: 07/06/2018 às 10:07. RODRIGUES, Luciana Deotti. A cana-de-açúcar como matéria-prima para a produção de bicombustíveis: impactos ambientais e o zoneamento agroecológico como ferramenta para mitigação. 2010, Juíz de Fora, MG. Disponível em: <http://atividaderural.com.br/artigos/560192 7a79cad.pdf>. Acesso em: 19/02/2018 às 17:23. RONQUIM, Carlos Cesar. Queimada na colheita de cana-de-açúcar: impactos ambientais, sociais e econômicos. 2010, Campinas, SP. Disponível em: <https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bits tream/doc/878010/1/Doc77.pdf>. Acesso em: 21/06/2018 às 10:15. SHENG, Yanping. et al. Effect of Fibers on Mixture Design of Stone Matrix Asphalt, MDPI, 2017. Disponível em: < https://pdfs.semanticscholar.org/ab0c/5001de a55faadf1a0ba56b82201db1c8271d.pdf >. Acesso em: 01/04/2018 às 06:56. SILVA, V.L.M.M; GOMES, W.C; ALSINA, O.L.S. Utilização do bagaço de cana-de-açúcar como biomassa adsorvente na adsorção de poluentes orgânicos. 2007, Campina Grande, PB. Disponível em: <http://www2.ufcg.edu.br/revista- remap/index.php/REMAP/article/view/28/64 >. Acesso em: 21/06/2018 às 11:20. SOREN, Ranjendra. Laboratory Investigation of Stone Matrix Asphalt Using Bagasse Fiber, Rourkela, India. 2012. Disponível em: <http://ethesis.nitrkl.ac.in/3790/1/engg_proje ct_-_Copy_-_Copy.pdf >. Acesso em: 07/06/2018, às 10:49. TOMÉ, Luisa Gardênia Alves; SOARES, Jorge Barbosa; LIMA, Cícero de Souza. Estudo do cimento asfáltico de petróleo modificado pelo terpolímero de etileno- butilacrilato-glicilmetacrilato. 2004, Fortaleza, CE. Disponível em: <http://www.portalabpg.org.br/PDPetro/3/tra balhos/IBP0499_05.pdf>. UNESP. Composição do bagaço de cana de açúcar, São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.rc.unesp.br/ib/ceis/mundoleved uras/2012/Composi%C3%A7%C3%A3o%2 0do%20Baga%C3%A7o%20de%20cana-de- a%C3%A7%C3%BAcar.pdf>. Acesso em: 17/02/2018 às 00:43. VALE, Aline Colares Do. Estudo Laboratorial da Viabilidade do Uso de Fibras de Coco em Misturas Asfálticas do Tipo SMA. Fortaleza, 2007. Disponível em: <http://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/1445/1/200 7_dis_acvale.pdf>. Acesso em: 18/02/2018 às 11:34. VILVAKUMAR, P. et al. A Study on the Perfomance of Sugarcane Fibre in Stone Matrix Asphalt, Indianápolis, 2013. Aceso em: 09/03/2018 às 03:45.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMistura asfáltica SMApt_BR
dc.subjectSMA com adição de bagaço de cana de açúcarpt_BR
dc.subjectbagaço de cana-de-açúcarpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA DE TRANSPORTESpt_BR
dc.titleEstudo do desempenho de uma mistura asfáltica SMA com adição de bagaço de cana-de-açúcarpt_BR
dc.title.alternativeStudy of the performance of a SMA asphalt blend with the addition of sugarcane bagassept_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
Aparece nas coleções:Bacharelado em Engenharia de Transportes

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tcc_Carina Nascimento_Jéssika Sousa.pdf3,36 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.