Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ifg.edu.br:8080/handle/prefix/917
Tipo: Tese-Extra-IFG
Título: A escrita diarística como estratégia narrativa em três romances brasileiros contemporâneos
Título(s) alternativo(s): A escrita diarística como estratégia narrativa em três romances brasileiros contemporâneos
Diary writing as a narrative strategy in three contemporary Brazilian novels
Autor(es): Silva Junior, Cloves da
Primeiro Orientador: Ribeiro, Renata Rocha
metadata.dc.contributor.referee1: Maciel, Sheila Dias
metadata.dc.contributor.referee2: André, Adolfo José Pereira
metadata.dc.contributor.referee3: Camargo, Flávio Pereira
metadata.dc.contributor.referee4: Ribeiro, Renata Rocha
metadata.dc.contributor.referee5: Sales, Paulo Alberto da Silva
Resumo: Esta tese tem como propósito analisar a utilização da escrita diarística como estratégia narrativa em três romances brasileiros contemporâneos, a saber: Diário do farol, de João Ubaldo Ribeiro (2016), Diário da queda, de Michel Laub (2011), e Quarenta dias, de Maria Valéria Rezende (2014), os quais foram selecionados para esta pesquisa por não apresentarem inscrição de data nos registros diarísticos. As teorias que versam sobre o diário estabelecem que a data é a essência desse gênero, tanto para fixar os eventos relatados em um ponto específico do tempo, quanto para assegurar que a escrita seja realizada proximamente aos eventos narrados. Apesar de o diário, como gênero textual, não possuir uma estrutura engessada ou modelos pré-definidos, esse compromisso com a demarcação dos dias é fulcral para os teóricos e teóricas cujas perspectivas adotamos neste trabalho. A partir disso e considerando as teorias de Mikhail Bakhtin (2010; 2011) acerca da composição do romance e dos gêneros do discurso – os quais são relativamente estáveis –, procuramos analisar a ficcionalização do diário no romance brasileiro contemporâneo, bem como observar e investigar a ausência de data nos registros dos diaristas ficcionais. Nos três romances, há justificativas mais ou menos precisas sobre o porquê da ausência de datação, e é justamente a ausência dessa característica mais elementar e superficial do diário, a data, que motivou o questionamento e a problematização acerca da estilização desse gênero pelo romance brasileiro. Para tanto, investigamos as atipicidades da escrita diarística ficcional nas três obras do corpus, juntamente com as outras estratégias narrativas e/ou peculiaridades temáticas que entendemos serem substâncias dos diários ficcionais elaborados pelos narradores, como a metaficção, os regimes totalitários, a memória, a velhice, a migração interestadual e as percepções do deslocamento urbano. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica que está embasada nos postulados teóricos de Bakhtin (2010; 2011), Blanchot (2005), Dalcastagnè (2012), Didier (1976), Girard (1986), Hess (2006), Hutcheon (1984), Lejeune (2014), Picard (1981), Raoul (1999), Waugh (1985), dentre outros. Ao final, compreendemos que o diário que é estilizado pelo romance pode aproximar-se em maior ou menor grau de seu modelo real de acordo com os propósitos da narrativa. Em relação à data, entendemos que a inscrição dos dias nos três romances selecionados não é essencial para o enredo, tendo em vista que nesses diários ficcionais o compromisso fundamental é a narração de uma história que não pretende (e não necessita) passar por um processo de verificação da veracidade dos eventos narrados porque não há a ilusão, para o leitor, de que sejam diários reais.
Abstract: This thesis aims to analyze the use of diary writing as a narrative strategy in three contemporary Brazilian novels, namely: Diário do farol, by João Ubaldo Ribeiro (2016), Diário da queda, by Michel Laub (2011), and Quarenta dias, by Maria Valéria Rezende (2014), who were selected for this research because they do not present a date in the diary records. Theories that deal with the diary establish that the date is the essence of this genre, both to fix the events reported in a specific point in time, and to ensure that the writing is carried out close to the narrated events. Although the diary as a textual genre does not have a fixed structure or pre-defined models, this commitment to the demarcation of days is crucial for theorists whose perspectives we adopt in this work. From this, and considering Mikhail Bakhtin’s (2010; 2011) theories about novel composition and genres of the discourse – which are relatively stable –, we seek to analyze the fictionalization of the diary in the contemporary Brazilian novel, as well as to observe and investigate the no date in the fictional diarists’ records. In the three novels, there are more or less precise justifications as to why the lack of dating, and it is precisely the absence of this more elementary and superficial feature of the diary, the date, that motivated the questioning and problematization of the stylization of this genre by the Brazilian novel. Therefore, we investigate the atypicalities of fictional diary writing in the three works of the corpus, along with the other narrative strategies and/or thematic peculiarities that we understand to be substances of the fictional diaries elaborated by the narrators, such as metafiction, totalitarian regimes, memory, the old age, interstate migration and perceptions of urban displacement. This is bibliographical research that is based on the theoretical postulates of Bakhtin (2010; 2011), Blanchot (2005), Dalcastagnè (2012), Didier (1976), Girard (1986), Hess (2006), Hutcheon (1984), Lejeune (2014), Picard (1981), Raoul (1999), Waugh (1985), among others. In the end, we understand that the diary that is stylized by the novel can come closer to a greater or lesser degree to its real model, according to the purposes of the narrative. Regarding the date, we understand that the inscription of the days in the three selected novels is not essential for the plot, considering that in these fictional diaries the fundamental commitment is the narration of a story that does not intend (and does not need) to go through a process of verification of the veracity of the events narrated because there is no illusion, for the reader, that they are real diaries.
Palavras-chave: escrita diarística
diário ficcional
metaficção
memória
romance brasileiro contemporâneo
CNPq: Linguística, Letras e Artes
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Goiás - Faculdade de Letras
Sigla da Instituição: UFG
metadata.dc.publisher.department: Faculdade Letras
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística
Citação: SILVA JUNIOR, C. A escrita diarística como estratégia narrativa em três romances brasileiros contemporâneos. 2021. 218 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2021.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ifg.edu.br:8080/handle/prefix/917
Data do documento: 15-Dez-2021
Aparece nas coleções:Teses e Dissertações defendidas extra IFG

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese_Cloves da Silva1,51 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.