Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ifg.edu.br:8080/handle/prefix/335
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: Diálogos entre psique e arte
Título(s) alternativo(s): Dialogues between psichi and art
Autor(es): Camelo, Ângela Berquó
Primeiro Orientador: Ruiz, Flora Alves
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Pires, Miriam Helena
metadata.dc.contributor.referee1: Carlos, Wagner Falcão
metadata.dc.contributor.referee2: Falleti, Renata Tavares de Brito
metadata.dc.contributor.referee3: Ruiz, Flora Alves
Resumo: O trabalho proposto tem como objetivo pesquisar os possíveis diálogos entre a psique e a criação artística da obra de Arthur Bispo do Rosário, identificando outros artistas que também foram diagnosticados com transtornos mentais. Explanaremos sobre alguns pontos do trabalho de Nise da Silveira, psiquiatra brasileira que introduziu a Arte como terapia. O problema em torno do qual se estruturam as discussões se formulou na seguinte questão: A criação artística desenvolvida por uma mente identificada com distúrbio mental pode ser considerada Arte? Com a hipótese de que, dadas as especificidades, o paciente possui condições mentais de produzir Arte e contribuir socialmente e culturalmente. A dimensão dessa contribuição dependerá da sociedade estar apta, ou não, para aceitar e compreender essa produção como obra artística. Esse trabalho tem relevância porque corrobora para quebra de paradigma da Arte como terapia ou terapia como Arte, proporcionando uma contribuição cultural e social, ampliando o território da multidisciplinaridade entre as áreas da Arte, ciência, saúde, cultura e sociedade. Revelando um novo campo de trabalho que se apoia na criação artística para seu o desenvolvimento. Palavras-chave: Criação artística. Psiquê. Loucura.
Abstract: El trabajo propuesto tiene como objetivo investigar los posibles diálogos entre la psique y la creación artística de la obra de Arthur Bispo do Rosário, identificando otros artistas que también han sido diagnosticados con trastornos mentales. Explanaremos sobre algunos puntos del trabajo de Nise da Silveira, psiquiatra brasileña que ha introducido el Arte como terapia. El problema alrededor del cual se estructuran las discusiones se ha formulado en la siguiente cuestión: ¿La creación artística desarrollada por una mente identificada con disturbio mental pode ser considerada Arte? Con la hipótesis de que, dadas las especificidades, el paciente tiene condiciones mentales de producir Arte y contribuir socialmente y cultura lmente. La dimensión de esa contribución dependerá de la sociedad estar apta, o no, para aceptar y comprender esa producción como obra artística. Ese trabajo tiene relevancia porque corrobora para la quiebra de paradigma del Arte como terapia o de la terapia como Arte, proporcionando una contribución sociocultural, ampliando el territorio de la multidisciplinaridad entre las áreas del Arte, ciencia, salud, cultura y sociedad. Revelando un nuevo campo de trabajo que se apoya en creación artística para su desarrollo. Palabras-lhave: Creación artística. Psique. Locura.
Palavras-chave: Criação artística. Psiquê. Loucura.
CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::ARTES
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Insitituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Sigla da Instituição: IFG
metadata.dc.publisher.department: Câmpus Cidade de Goiás
Citação: CAMELO, Ângela Berquó. Diálogos entre psique e arte. 2019. 69 f. Trabalho de Conclusão de Curso–Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Goiás-GO, 2019.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ifg.edu.br/handle/prefix/335
Data do documento: 9-Dez-2019
Aparece nas coleções:Licenciatura em Artes Visuais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tcc_Ângela Berquó Camelo.pdf7,05 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.