Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ifg.edu.br:8080/handle/prefix/1407
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: A divisão sexual do trabalho cinematográfico em longas goianos (1967-2022)
Título(s) alternativo(s): Sexual division of labor in cinematographic work (feature films from Goiás 1967-2022)
Autor(es): Iasi, Maiári Cruz
Primeiro Orientador: Ventura, Cristiane Moreira
metadata.dc.contributor.referee1: Ventura, Cristiane Moreira
metadata.dc.contributor.referee2: Silva, Naira Rosana Dias da
metadata.dc.contributor.referee3: Oliveira, Thaís Rodrigues
Resumo: Esse trabalho pretende descrever e analisar a divisão sexual do trabalho na produção e direção de longas-metragens no estado de Goiás desde o primeiro longa em 1967 até as produções de 2022. A divisão sexual do trabalho não diz respeito a aptidões fisiológicas, biológicas ou hormonais, sendo socialmente construída por séculos a fim de fortalecer uma relação de poder que foi apropriada pelo capitalismo contemporâneo. No Brasil, apesar da população feminina ultrapassar em números a população masculina, ainda há nitidamente um recorte de gênero quando analisada a divisão sexual entre cargos das produções cinematográficas. Para compreender esse recorte dentro do cinema em Goiás foi realizado um levantamento por meio de bibliografias, catálogos de festivais e catálogos das produtoras ou associações goianas afim de comparar com os dados nacionais publicados pela ANCINE em 2020 com os Filmes Brasileiros Lançados Comercialmente em Salas de Exibição - 1995 a 2019, acrescentada da informação da função de produção nos títulos apresentados. Ao levantar os dados e estatísticas de oitenta e cinco longas-metragens goianos, visualizamos que eles reproduzem as estatísticas nacionais, apresentando maioria de homens em cargos de poder e trabalho intelectual artístico como a direção enquanto as mulheres se encontram em cargos considerados como organizacionais de trabalho invisível e burocrático, como é o caso da produção. O estudo aqui proposto não busca uma análise maniqueísta da divisão sexual nos espaços laborais da produção de cinema, mas sim apontar para obstáculos que persistem e rupturas que permitem vislumbrar possíveis movimentações rumo a uma produção artística com igualdade de oportunidades entre cineastas homens e mulheres, assim como grifar na história recente do cinema goiano as realizadoras que conseguiram emergir em um meio tão desfavorável.
Abstract: This work intends to describe and analyze the sexual division of labor in the production and direction of feature films in the state of Goiás from the first one in 1967 until the productions of 2022. Such a division of labor does not concern physiological, biological or hormonal aptitudes . It was socially constructed for centuries in order to strengthen a power relationship that was appropriated by contemporary capitalism. In Brazil, although the female population exceeds the male population in numbers, there is still a clear gender bias when analyzing cinematographic productions. To understand this within the cinema in Goiás, a survey was carried out through bibliographies, festival catalogs and catalogs of Goiás producers or associations in order to compare with the national data published by ANCINE in 2020 with the Brazilian Films Commercially Released in Exhibition Halls - 1995 to 2019, added production function information. By raising the data of eighty-five feature films from Goiás, we visualized that they reproduce national statistics, with a majority of men in positions of power and artistic intellectual work such as direction while women are in positions considered as organizational work invisible and bureaucratic, as is the case with production. The study proposed here does not seek a Manichean analysis of the sexual division in the work spaces of film production, but rather points to obstacles that persist and ruptures that allow us to glimpse possible movements towards an artistic production with equal opportunities for male and female filmmakers, as well as how to highlight in the recent history of cinema in Goiás the female directors who managed to emerge in such an unfavorable environment.
Palavras-chave: Cinema goiano
Relações de gênero
Mulheres no cinema
Divisão sexual do trabalho
CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::ARTES::CINEMA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Insitituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Sigla da Instituição: IFG
metadata.dc.publisher.department: Câmpus Cidade de Goiás
Citação: IASI, Maiári Cruz. A divisão sexual do trabalho cinematográfico em longas goianos (1967–2022). 2022. 86 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Instituto Federal de Goiás, Goiás-GO, 2022.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ifg.edu.br:8080/handle/prefix/1407
Data do documento: 5-Dez-2022
Aparece nas coleções:Bacharelado em Cinema e Audiovisual

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC_Maiári Cruz Iasi.pdf15,32 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.