Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ifg.edu.br:8080/handle/prefix/1222
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: Caracterização físico-química em leite informal comercializado no Município de Itumbiara-GO
Título(s) alternativo(s): Physicochemical characterization in informal milk marketed in the Municipality of Itumbiara-GO
Autor(es): Paz, Jaqueline Souza
Primeiro Orientador: Santos, João Paulo Victorino
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Goulart, Simone Machado
metadata.dc.contributor.referee1: Santos, João Paulo Victorino
metadata.dc.contributor.referee2: Buzzo, Guilherme Soares
metadata.dc.contributor.referee3: Castro, Leonardo Magalhães de
Resumo: O presente trabalho visou caracterizar o leite informal comercializado no Município de Itumbiara-GO quanto às suas análises físico-químicas e levantando as ações da Vigilância Sanitária (VISA) frente ao comércio de leite informal. De acordo com a legislação brasileira, produtos de origem animal como o leite devem passar pela fiscalização da agência sanitária do governo antes de serem levados para consumo. O comércio clandestino de leite cru, sem fiscalização, representa uma importante questão de saúde pública pelos riscos que pode acarretar à saúde dos consumidores. Em muitos municípios brasileiros, apesar de proibido desde a década de 1950, o comércio de leite clandestino ainda é realizado de forma muito intensa e em condições de higiene e conservação muito precárias, o que faz ser comum encontrar redutores de acidez, conservadores e outros resíduos no leite. Segundo Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA) é proibido o uso de substâncias químicas na conservação do leite e a adição dessas substâncias é considerada fraude. Encontramos em nossa pesquisa a venda de leite cru diretamente ao consumidor em cinco bairros da periferia do Município de Itumbiara. Duas amostras desses leites foram analisadas em três períodos diferentes para caracterização físico-química e as condições gerais de venda foram avaliadas. Os produtos apresentaram acidez elevada que pode estar associada à falta de refrigeração e à falta de padrões de qualidade de higiene. É possível concluir que a venda do leite informal tem qualidade comprometida pela falta de inspeção, refrigeração e higiene, sendo um produto de comercialização ilegal. É necessário que os órgãos de fiscalização voltem a atuar no combate a esse tipo de comércio para que este problema possa ser completamente solucionado. Embora tenha ocorrido grande diminuição, a prática da venda de leite sem passar uma inspeção sanitária não foi completamente extinta, e este trabalho serve de alerta aos consumidores e agentes de fiscalização para a sua resolução.
Abstract: The present work aimed to characterize the informal milk commercialized in the Municipality of Itumbiara-GO regarding its physical-chemical analysis and raising the actions of the Sanitary Surveillance (VISA) against the informal milk trade. According to Brazilian legislation, products of animal origin such as milk must be inspected by the government health agency before being taken for consumption. Clandestine trade in raw milk, which is unmonitored, represents an important public health issue because of the risks it may pose to consumer health. In many Brazilian municipalities, although banned since the 1950s, the illegal milk trade is still carried out in a very intense way and in very precarious conditions of hygiene and conservation, which makes it common to find acidity reducers, preservatives and other wastes in milk. According to the Regulation of Industrial and Sanitary Inspection of Products of Animal Origin (RIISPOA) is prohibited the use of chemical substances in the conservation of milk and the addition of these substances is considered fraud. We found in our research the sale of raw milk directly to the consumer in five districts of the periphery of the Municipality of Itumbiara. Two samples of these milks were analyzed in three different periods for physicochemical characterization and the general conditions of sale were evaluated. The products presented high acidity that may be associated with lack of refrigeration and lack of hygiene quality standards. It is possible to conclude that the sale of informal milk has quality compromised by lack of inspection, refrigeration and hygiene, being a product of illegal commercialization. It is necessary for the supervisory bodies to act again in the fight against this type of trade so that this problem can be completely solved. Although there has been a large decrease, the practice of selling milk without passing a sanitary inspection has not been completely extinguished, and this work serves as a warning to consumers and enforcement agents for its resolution.
Palavras-chave: Comércio informal
Análises físico-químicas
Leite informal
CNPq: Ciências Exatas e da Terra
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Insitituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Sigla da Instituição: IFG
metadata.dc.publisher.department: Câmpus Itumbiara
Citação: ABRAHÃO, R. M. C. M.; NOGUEIRA, P. A.; MALUCELLI, M. I. C. O comércio clandestino de carne e leite no Brasil e o risco da transmissão da tuberculose bovina e de outras doenças ao homem: um problema de saúde pública. Archives of Veterinary Science v.10, n.2, p.1-17, 2005. Disponível em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/veterinary/article/viewArticle/4409. Acesso em: 11 ago. 2016. 37 ALEGRO L.C. MENDONÇA, M.B.O.C, CURIAKI, Y., JULINI, G.L, Santana E.H.W. Qualidade Físico-química de Amostras de Leite Cru Comercializadas Informalmente no Norte do Paraná UNOPAR Cient., Ciênc. Biol. Saúde. 2009;11(4):47-50 ALMEIDA, A. C. de., et al. Características físico-químicas e microbiológicas do leite cru consumido na cidade de Alfenas, MG. R. Un. Alfenas, Alfenas, 5:165-168, 1999. Disponível em: http://www.unifenas.br/pesquisa/download/ArtigosRev2_99/pag165- 168.pdf. Acesso em: 11 ago. 2016. ALVES, LEYDIANE. A importância da IN62 para a qualidade do leite. Disponível em : <http://sistemafaeg.com.br/noticias/8752-a-importancia-da-in-62-para-a-qualidade-do-leite> AMARAL, C. R. S. do: SANTOS, E. P. dos. Leite cru comercializado na cidade de Solânea, PB: caracterização físico-química e microbiológica. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.13, n.1, p. 7-13, 2011. ANGELILLO, I. F.; VIGGIANI, N. M. A.; RIZZO, L.; BIANCO A. Food handlers and foodborne diseases: knowledge, attitudes and reported behavior in Italy. Journal of Food Protection, Des Moines, v.63, p.381- 385, 2000 Disponível em<https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10716569>>Acesso em 22 abril de 2017 ANTENORE, A. 41% da produção de leite é clandestina. Folha de São Paulo, São Paulo, 30 ago.1998. Caderno 3, p. 1-4, 1998. AUGUSTINHO, E.S. A Importância do leite na nutrição humana. 31. Set. 2015. Disponível em <http://cienciadoleite.com.br/noticia/3403/a-importancia-do-leite-na-nutricao humana>acesso em 10.out.2017 BARBOSA, C. P; BENEDETTI, E.; GUIMARÃES, E. C. Incidência de mastite em vacas submetidas a diferentes tipos de ordenha em fazendas leiteiras na região do triângulo mineiro. Biosci. J., Uberlândia, v. 25, n. 6, p. 121-128 , Nov./Dec. 2009. Disponível em: www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/download/.../4686. Acesso em: 24 mar. 2017. BARBOSA, H. P; LIMA C.U.G.B; SANTANA, A.M; LINS, A.A; MARTINS, P. S. Caracterização Físico-Química De Amostras De Leite In Natura Comercializados No Estado Da Paraíba. Rev. Ciênc. Saúde Nova Esperança – Dez. 2014;12(2):5-13 BASSAN, J. C. et al. Consumo de leite informal na cidade de Araraquara-SP. Alim Nutr. = Braz J Food Nutr. vol.24, n.4, p.403-408, out./dez., 2013. BEHMER, M.L.A. Tecnologia do leite: queijo, manteiga, caseína, iogurte, sorvetes e instalações: produção, industrialização e analise. 13 ed. São Paulo: Nobel, 1999. BELOTI.V et al. Avaliação da qualidade do leite cru comercializado em Cornélio Procópio, Paraná: Controle do consumo e da comercialização. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v.20 n.1, p.12-15, 1999. Disponível em <<http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/semagrarias/article/view/4208/4528>> acesso em 19-06-2016 38 BITENCOURT, D.; PEGORARO, L. M. C.; GOMES, J. F. Sistemas de pecuária de leite: uma visão na região de clima temperado. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2000. p. 175-195. BRANDÃO, J. B.; BREITENBACH, R.; DIAS, V. S; SILVA, F. B. da. Leite Clandestino: A informalidade orientada pela demanda – um diagnóstico da produção e comercialização em Itaqui/Rio Grande do Sul. Revista Extensão Rural. v.22, n.2, p.113-131, abr./jun, 2015. BRASIL, Queijos . Obtenção de Leite de Qualidade. Revista Higiene Alimentar. 2015. Disponível em: <https://www.queijosnobrasil.com.br/portal/tudo-sobre-leite/48-obtencao-de leite-de-qualidade>. Acesso em: 14 dez. 2017. BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Decreto nº 30.691, de 29 de março de 1952. Aprova o regulamento técnico de inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal. Diário Oficial da União, Brasília, 7 jul. 1952. BRASIL. Ministério da Agricultura. Portaria nº 146, de 7 de março de 1996. Aprova os regulamentos técnicos de identidade e qualidade dos produtos lácteos. Diário Oficial da República do Brasil, Brasília, 11 mar. 1996. Seção 1, p. 3978 BRASIL. Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal – RIISPOA. Aprovado pelo Decreto nº 30.691 de 29/03/1952, alterado pelos Decretos nº 1.255 de 25/06/1962, nº 1.236 de 02/09/1994, nº 1.812 de 08/02/1996, nº 2.244 de 04/06/1997 e nº 6385 de 27/02/2008. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 27 fev. 2008 _____________________________. Instrução normativa n° 62 de 29 de dezembro de 2011. Regulamento Técnico de Produção, Identidade e Qualidade do Leite tipo A, o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leite Cru Refrigerado, o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leite Pasteurizado e o Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel. Diário Oficial [da] União, Brasília, 29 dez. 2011. _____________________________. Instrução a Normativo Nº 68, DE 12 de dezembro de 2006. Métodos Analíticos oficiais físico-químicos para controle de leite e Produtos lácteos. Departamento de Inspeção de Produto de Origem Animal. Brasília, 2006. CALDEIRA, L.A. et al. Caracterização do leite comercializado em Janaúba – Mg. Alim Nutr, v.21, n.2, p.191-5, 2010. CARDOSO, Monica. Percepção das empresas de lácteos sobre programas de pagamento por qualidade do leite e evolução dos indicadores de qualidade higiênico-sanitário. 2012. 55 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2012. CARVALHO, Marcelo Pereira de. O leite-fantasma: faltam 5 bilhões de litros na conta. Milk Point. 2016. Disponivel em: http://m.milkpoint.com.br/cadeia-do-leite/editorial/o leitefantasma-faltam-5-bilhoes-de-litros-na-conta-99474n.aspx. acesso em : 14 dez. 2012 CORRÊA, F. T; CAMPOS, S. A. S; PINTO, S. M. Presença de antibióticos, conservantes e reconstituintes em leite UHT e pasteurizado. Demetra: Food, Nutrition & Health/Alimentação, Nutrição & Saúde, v. 10, n. 2, p. 289 -98, 2015. 39 FAGUNDES, Celso M. et al. Presença de Pseudomonas spp em função de diferentes etapas da ordenha com distintos manejos higiênicos e no leite refrigerado. Ciência Rural, v.36, n.2, p.568-572, 2006. FANGMEIER, Michele. Entendendo as ánalises de composição do leite. Milk Point Industria.2016. Diponivel em: http://m.milkpoint.com.br/industria/radar-tecnico/leite fluido/entendendo-as-analises-de-composicao-do-leite-102896n.aspx. acesso em: 14 dez.2017 FARRELL JR., H.M. et al. Nomenclature of the Proteins of Cows’ Milk—Sixth Revision. Journal of Dairy Science, v.87, n.6, p.1641–1674, 2004. FONSECA, L. M.; RODRIGUES, R.; SOUZA, M. R. Índice crioscópico do leite. Caderno Técnico da Escola de Veterinária da UFMG, n.13, p.73-83, 1995. FRAGNANI, R. BATTAGLINI, A.P.P. LEGISLAÇÃO BRASILEIRA DE LEITE E DERIVADOS. In: Histórico da Inspeção Sanitária de Alimentos. Disponível em << https://s3.amazonaws.com/pgsskroton-arquivos/95e3616d4ca9d63a6e6bfe84d7c4a212.pdf>> Acesso em 34 Mai. 2017. FREIRE, M. F. Análise das características físico-químicas de leite cru refrigerado entregue em uma cooperativa no estado do Rio de Janeiro no ano de 2002. Monografia, Universidade Castelo Branco. Rio de Janeiro, 2006. GONZÁLEZ, F.H.D. Composição bioquímica do leite e hormônios da lactação. In: Uso leite para monitar a nutrição e o metabolismo de vacas leiteiras. Gráfica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2001. GUERREIRO PK et al. 2005. Qualidade microbiológica de leite em função de técnicas profiláticas no manejo de produção. Ciênc. agrotec 29: 216-222. HAUG A, HOSTMARK AT, HARTAD OM. Bovine milk in human nutrition – a review. Lipids Health Dis. 2007;6: 1–16. IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Junho de 2016. Disponível em <http://www.ibge.gov.br/Producao_Pecuaria/Fasciculo_Indicadores_IBGE/abate-leite-couro ovos_201601caderno.pdf> Acesso em 11 Jun. de 2017 JESUS, K.M. Qualidade do leite informal comercializado em são luís de montes belos – GO. Monografia. Universidade estadual de goiás unidade universitária de são Luis de montes belos tecnologia em Laticínios. 2011. Disponível em << http://www.cdn.ueg.br/source/campus_sao_luis_de_montes_belos_243/noticias/29226/2011/ Kcia_Marla_de_Jesus.pdf>> Acesso em 09 Mai. 2017 LANGONI H., PENACHIO D.S., CITADELLA J.C.C., LAURINO F., FACCIOLI MARTINS P.Y., LUCHEIS.B., MENOZZI B.D. & Silva A.V. 2011. Aspectos microbiológicos e de qualidade do leite bovino. Pesq. Vet. Bras. 31:1059-1065. LAY-ANG, Giorgia. A importância do leite para a saúde ; Brasil Escola.2017 Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/saude/a-importancia-leite-para-saude.htm>. Acesso em 10 de outubro de 2017. 40 LIMA, N. K. P. et. al. Análises físico-químicas de amostras de leite UHT/UAT integral comercializados no município de Morrinhos, GO. Revista de Biotecnologia & Ciência. Vol. 2, Nº.1, Ano 2012. Disponível em: <http://www.prp.ueg.br/revista/index.php/biociencia/article/view/66>. Acesso em: 11 Ago. 2016. MANSSON H. L. Fattyacids in bovine milk fat. Food and Nutrition Research, Lund, Sweden, 2008. MARTH, E.H. Salmonellae and salmonellosis associated with milk and milk products: a review. Journal of Dairy Science, v.52, n.3, p.283-315, Mar. 1969. MENDES. C. de G. Análises físico-químicas e pesquisa de fraude no leite informal comercializado no município de Mossoró, RN. Ci. Anim. Bras., Goiânia, v. 11, n. 2, p. 349- 356, abr./jun. 2010. MENDONÇA, M. B. O. C. et al. Qualidade Fisico-Química de Amostras de Leite Cru Comercializadas Informalmente no Norte do Paraná. Cient., Ciênc. Biol. Saúde. v.11, n.4, p.47-50, 2009. MEZZADRI, F.P. EAB – Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural LEITE - Análise da Conjuntura Agropecuária. 2016. Disponível em<<http://www.agricultura.pr.gov.br/arquivos/File/deral/Prognosticos/2016/bovinocultura_d e_leite_2016.pdf>> Acesso em 09 mai. 2017 MILANI, MARCELI P. Qualidade do leite em diferentes sistemas de produção, anos e estações climáticas no Noroeste do Rio Grande do Sul. 2011. 67 f. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, 2011. MONTANNHINE, M. T. M.; HEIN, K. K. Qualidade do leite cru comercializado informalmente no município de Piraí do sul, estado do Paraná, Brasil. Rev. Inst. Laticínios Cândido Tostes, v.68, n.393, p.10-14, jul/ago., 2013. MOTTA, R. G.; et al. Indicadores de qualidade e composição de leite informal comercializado na região Sudeste do Estado de São Paulo. Pesq. Vet. Bras. v.35, n.5, p.417- 423, mai. 2015. NERO, L. A.; MAZIERO, D.; BEZERRA, M. M. S. Hábitos alimentares do consumidor de leite cru de Campo Mourão - PR. Semina: Ciências Agrárias, v.24, n.1, p.21-26, 2003. NORO, G. et al. Fatores ambientais que afetam a produção e a composição do leite em rebanhos assistidos por 78 cooperativas no Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Zootecnia, v.35, n.3, p.1129-1135, 2006. OLIVAL, A.A; PEIXOTO, A.A. Leite informal no Brasil: Aspectos Sanitários e Educativos. 2004. Disponível em https://www.bdpa.cnptia.embrapa.br/consulta/busca?b=ad&id=530544&biblioteca=vazio&bu sca=assunto:Brasil&qFacets=assunto:Brasil&sort=&paginacao=t&paginaAcesso em 10 jun. 2017. 41 OLIVEIRA, C. A. F.; FONSECA, L. F. L.; GERMANO, P. M. L. Aspectos relacionados à produção, que influenciam a qualidade do leite. Higiene Alimentar, v.13, n.62, p.10-13, 2000. OLIVEIRA, Emanuel N.A. et al. Composição físico-química de leites em diferentes fases de lactação. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambientais, v. 8, n. 4, p. 409-415, 2010. PACHECO, MARINE S. Leite cru refrigerado do agreste pernambucano: caracterização da qualidade e do sistema de produção. 2011. 87 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2011. PEGORETTI C, Antunes AEC, de Barros Manchado-Gobatto F, Capitani CD. Milk: An Alternative Beverage for Hydration? Food and Nutrition Sciences.2015; 6: 547-54. PEREIRA, D. B. C. et al. Físico-química do leite e derivados – Métodos analíticos. 2 ed. Juiz de Fora. 2001. PEREIRA, P. C. Milk nutritional composition and its role in human health. Nutrition.2014; 30(6):619-27. PINTO, A.T. Venda direta de leite cru. Radar Técnico. 2015 Disponível em <<https://www.milkpoint.com.br/industria/radar-tecnico/legislacao-e-regulamentacao/a venda-direta-de-leite-cru-94411n.aspx>> Acesso em 22 abr. 2017 REIS, R.B. et al. Manipulação da composição do leite pela nutrição da vaca. In: SIMPÓSIO DO AGRONEGÓCIO DO LEITE: PRODUÇÃO E QUALIDADE (CD-ROM), 1., 2004, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Escola de Veterinária da UFMG, 2004. RENEAU, J.K. & PACKARD, V.S. Monitoring mastitis, milk quality and economic losses in dairy fields. Daire, Food and Environmental Sanitation, 11: 4-11, 1991. Disponivel em: https://www.queijosnobrasil.com.br/portal/tudo-sobre-leite/48-obtencao-de-leite-de qualidade. Acesso em: 14 dez.2017 RIBEIRO, M. E. R.; STUMPF JÚNIOR, W.; BUSS, H. Qualidade de leite. In: RODRIGUES, NATÁLIA OLIVEIRA. Análises físico-química do leite comercializado sem inspeção no município de Formiga-MG. 2013. Disponível em: <http://bibliotecadigital.uniformg.edu.br:21015/jspui/bitstream/123456789/195/1/NataliaRodr igues-Vet.pdf>. Acesso em: 11 ago. 2016. RUBEZ, Jorge. O Leite nos últimos 10 anos. Associação Brasileira dos Produtores de Leite. Leite Brasil. Setembro, 2003. Disponível em: <http://www.leitebrasil.org.br/artigos/jrubez_093.htm>. Acesso em: 21.abr.2017. SÁ, E. Análises realizadas para o controle da qualidade de leite in natura de acordo com os parâmetros legais. Revista Leite & Derivados, ano XIV, n. 81, p. 67-72. 2004. SANDA ACMM, Silva TL, Piva KP, Sanda RT, Orsine JVC. Características do leite cru consumido pela população de Pires do Rio-GO. Rev HCPA. 2013;33(2):127-34. 42 SANTOS, Thales M.F. et al. Teores de gordura e proteína do leite cru refrigerado individual e comunitário de propriedades rurais do Vale do Rio Doce (MG). In: Simpósio de Produção Acadêmica, v. 5, n.1. Anais...Viçosa, 2013. SENAR. Tendências para o desenvolvimento da atividade pecuária leiteira no brasil. 2015. Disponível em:<https://www.oitcinterfor.org/sites/default/files/file_publicacion/senar.%20estudio%20pro spectivo%20bovinocultura%20leche.pdf> Acesso em 14 dez. 2017 SILVA, M. C. D.; SILVA, J. V. L. da; RAMOS, A. C. S.; MELO, R. de O. M.; OLIVEIRA, J. O. Caracterização microbiológica e físico-química de leite pasteurizado destinado ao programa do leite no Estado de Alagoas. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 28(1): 226- 230, jan-mar. 2008. SOUSA, D. D. P. Consumo de produtos lácteos informais, um perigo para a saúde pública. Estudo dos fatores relacionados a esse consumo no município de Jacareí – SP. Dissertação Mestrado. Programa de Pós graduação em Epidemiologia Experimental e Aplicadas às Zoonoses, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia USP - São Paulo. 2005. SOUZA, V. Características físico-químicas, microbiológicas, celulares e detecção de resíduos de antibióticos em amostras de leite de tanque comunitário. Dissertação. 2006. Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias. Jaboticabal. São Paulo. Disponível em: http://www.fcav.unesp.br/download/pgtrabs/mvp/m/2704.pdf. Acesso em: 03 set. 2017. SOVINSKI, A. I. et al. Situação da comercialização do leite cru informal e avaliação microbiológica e físico-química no município de Cafelândia, Paraná, Brasil. Arq. Ciênc. Vet. Zool., v.17, n.3, p.161-165, jul./set., 2014. TANNÚS, S. P. Leite Informal: um problema social e uma mudança cultural. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/16105/5/WAOGobbi5DISSPRT.pdf. Acesso em 10 ago. 2005. TRONCO, V. M. Manual para inspeção da qualidade do leite. 2ed. Santa Maria: Ed da UFSM, 2003. TRONCO, V. M. Manual para inspeção da qualidade do leite. Santa Maria: Editora UFSM, 2008. VENTURINI, K. S.; SARCINELLI, M. F.; SILVA, L. C. da. Características do leite. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo/Pró-Reitoria de Extensão, Programa Institucional de Extensão, 2007. (Boletim Técnico - PIE-UFES: 01007). VIANNA A.C. 2009 Avaliação de queijo de coalho produzido com bactérias láticas endógenas. Mestrado, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal da Bahia, Salvador. 80p VIDAL-MARTINS A.M.C., BURGER K.P., GONÇALVES A.C.S., GRISOLIO A.P.R., AGUILAR C.E.G. & Rossi G.A.M.R. 2013. Avaliação do consumo de leite e produtos 43 lácteos informais e do conhecimento da população sobre os seus agravos à saúde pública, em um município do Estado de São Paulo, Brasil. Indústr. Anim.70(3):221-227. VIEIRA, R. P. et al. Qualidade do leite informal comercializado nas cidades de Ipameri e Orizona – Goiás. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v.16, n.2, p.217-222, 2014. WATTIAUX, M. A. Composição do Leite e seu Valor Nutricional. Instituto Babcock para Pesquisa e Desenvolvimento da Pecuária Leiteira Internacional Universityof Wisconsin Madison. 2014. Disponível em: < http://www.universidadedoleite.com.br/artigo-composicao do-leite-e-seu-valor-nutricional > (Acessado em 10 dez. 2014) ZOCCAL, R. Leite no copo, no Brasil e no mundo. 16 de maio de 2017. Disponível em <<http://www.baldebranco.com.br/leite-no-copo-no-brasil-e-no-mundo/>> Acesso em 13 jun. 2017.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ifg.edu.br:8080/handle/prefix/1222
Data do documento: 28-Nov-2017
Aparece nas coleções:Licenciatura em Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC- JAQUELINE SOUZA PAZ.pdf950,62 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.